Saiba Mais

COMO ESCOLHER A ADMINISTRADORA?

Siga algumas boas dicas para a escolha da administradora do seu condomínio:

  • Procure indicações de outros síndicos.
  • Solicite à administradora uma relação de condomínios administrados, com nome e telefone dos síndicos, e informe-se sobre a idoneidade da mesma.
  • Procure conhecer toda a estrutura da administradora. Existem casos de administradoras-fantasmas, que funcionam apenas com um telefone celular.
  • Informe-se sobre qual a forma de rescisão contratual prevista.
  • Veja se no contrato há cláusula especificando que a administradora é responsável pelo pagamento de multas ou despesas extras, decorrentes de seus eventuais erros. Por exemplo: se ela não recolher o FGTS dos funcionários no prazo, quem vai arcar com as multas?
  • Um item importante a ser observado na contratação da empresa é se ela possui departamento jurídico próprio. Contar com um sistema on-line para tirar dúvidas dos síndicos (e dos condôminos em geral) também é bem vindo.
  • Certifique-se de que a administradora tem experiência em reduzir custos e otimizar a receita.
  • Se a taxa cobrada é fixa ou vinculada à arrecadação ordinária do condomínio.
  • Se a movimentação financeira será feita em conta em nome do condomínio ou em conta “pool”.
  • Se o balancete tem linguagem simples, de fácil compreensão, possibilitando o acompanhamento da aplicação dos recursos.
  • Se a administradora possui administrador, contador ou outro profissional habilitado.
  • Se a administradora tem um site na Internet, pelo qual pode prestar contas e passar informações a seus clientes.
  • Exija certidões civil e criminal dos sócios e da empresa, certidões negativas de INSS e FGTS, além de informações bancárias e comerciais da administradora. Essas medidas visam mostrar a idoneidade da empresa; garantem, por exemplo, que ela recolherá corretamente os encargos como o INSS e o FGTS. Há administradoras que chegam a falsificar as guias de INSS. Para se defender desse tipo de ação, o síndico deve solicitar, periodicamente, a certidão negativa de INSS do seu condomínio.
  • Ao escolher a administradora, visite suas instalações. Procure conhecer toda sua estrutura. Existem casos de administradoras “fantasmas”, que funcionam apenas com um telefone celular.
  • Desconfie de taxas muito baixas. O usual é cobrar uma taxa fixa para a administração ou entre 6% e 10% da arrecadação ordinária do condomínio. Segundo a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios (AABIC), nenhum prédio custa menos que R$900,00 por mês para a administradora.

Fonte: Direcional Condomínios